Religião

  • Uma Gota de Luz

    Autor: João Batista Cid

    Uma Gota de Luz é uma história psicografada por um rapaz chamado Paulo, criado em uma fazenda no interior de São Paulo, onde morava com seu pai e sua mãe, que eram empregados de um fazendeiro chamado senhor Almeida. A história de Paulo nos é contada em três partes: a primeira até aos vinte e um anos, período que habitava o plano físico como nós; a segunda nos conta sua passagem, do plano físico para o espiritual, e nos descreve nessa etapa vários anos de trabalho; a terceira é escrita por seu amigo e companheiro Anadias, que o acompanhava no plano espiritual, sendo fundamental para seu retorno e nova vida entre nós, encarnados no plano físico.
    Começa descrevendo sua infância e adolescência, todas duas vividas na fazenda, onde conheceu e conviveu com Francisco, filho do fazendeiro, que seria seu primeiro e único amigo, mas acabou sendo seu primeiro e único inimigo.
    Pôde sentir o verdadeiro carinho e afeto de pessoas que o acompanharam em sua breve caminhada. Descobriu, sentiu e vivenciou o verdadeiro sentido da palavra amor. Ao lado de Rosa Maria, viveu a essência do mais puro amor, um amor tão intenso que, com certeza, sua essência permanecerá por muitas e muitas vidas, um amor tão raro nos dias de hoje, como o mais raro de todos os diamantes já encontrados.

    Acompanhe o menino Paulo no momento de sua passagem, do plano físico para o espiritual, quando um Mestre da Luz, chamado mestre Roma, vem para acompanhá-lo em sua caminhada.

    Paulo nos descreve, em minúcias, a cidade em que viveu no plano espiritual, chamada Eluza, relata suas
    idas e vindas ao plano físico e espiritual para acompanhar irmãos que acabaram de fazer suas  passagens. Retrata algumas histórias de vida contadas por esses irmãos. São momentos muito  especiais.

    Por fim, Anadias, seu amigo e companheiro de toda sua caminhada espiritual, escreve o fim de sua passagem pelo plano espiritual e o seu recomeço na vida física. São momentos inesquecíveis, em que temos a certeza de que Deus põe cada Gota de Luz em cada pessoa e lugar de merecido direito.
    JBFCID...

  • Herondina - Biografia de uma Padilha

    Autor: Raul Luiz Ferraz Filho

     A personagem Herondina desencarna no Maranhão, transformando-se em espírito e, nessa passagem para outra dimensão, esquece quem fora anteriormente. Depois de longo tempo desperta confusa e atordoada com a nova realidade, mas percebe que não tem mais um corpo. Vaga em busca de informações que lhe tragam conhecimentos da nova realidade onde se encontra e do desconhecido mundo espiritual. Chega ao Pará e se aproxima dos tambores de Mina, onde inicia seu aprendizado evolutivo na espiritualidade. Em seguida conhece o Candomblé da Bahia, onde se torna uma Padilha, entidade que serve aos Orixás, destacando-se como incansável trabalhadora que ajuda a quem dela precisa. Na Bahia, é assentada por um Babalorixá e trabalha arduamente junto ao médium, aumentando seu campo de ação e atuação, adquirindo, dessa forma, o respeito de toda aquela comunidade de adeptos. Gradativamente passa de espírito inculto a grande conselheira. O sofrimento e a necessidade fizeram aflorar-lhe os conhecimentos empíricos registrados em vidas anteriores e ela passou a usá-lo em prol de todo um trabalho junto à comunidade, auxiliando a todos com sabedoria popular, conselhos e ajuda espiritual. Aprende o segredo do oráculo dos búzios, muito usado nas consultas das religiões afro-brasileiras, como forma de comunicação com os Orixás, cuja interpretação orienta em direção da solução de problemas humanos. A trajetória de Herondina é a clara demonstração de evolução espiritual por meio dos cultos afro-brasileiros, evidenciando que a espiritualidade sempre oportuniza um caminho para o crescimento espiritual, de acordo com as possibilidades e necessidades de cada espírito.

    Esta biografia registra as narrativas da própria Padilha Herondina, incorporada no Babalorixá Fernando de Iemanjá e também do próprio médium, ouvidas e atentamente anotadas em uma roça de Candomblé da Bahia.
    Socorro Patello
    Professora de Filosofia da UFPA (Universidade Federal do Pará) aposentada.
  • O Ser Humano, Espiritualidade e Inclusão no Ambiente Corporativo

    Autor: Obreiros do Amor e Misericórdia

     O Ser Humano, Espiritualidade e Inclusão no Ambiente Corporativo

     Reflexões e exemplos de superação na trajetória das pessoas com deficiência, desde a gestação até sua inclusão e desenvolvimento de carreira no ambiente corporativo.

     O Livro foi idealizado a partir dos cursos, palestras e workshops realizados pela Obreiros de Amor e  Misericórdia, com foco no diálogo inter-religiosos e na valorização do ser humano através da conduta ética e moral em equilíbrio com o trabalho e a geração de resultados, com a inclusão das pessoas com deficiência no cotidiano das organizações.

     Esta obra é destinada a todas as pessoas e instituições que acreditam ser plenamente possível o desenvolvimento do ser humano e das organizações através da inclusão das pessoas com deficiência, gerando resultados mútuos de forma perene.

     Os leitores terão acesso a depoimentos reais de gestão que mostram ser perfeitamente possível a inclusão das pessoas com deficiência nas organizações e vice-versa, convertendo a dor em amor e gerando resultados.

     Os autores convidados compartilham voluntariamente sua experiência de vida e profissional, mostrando que com perseverança, planejamento e amor, é possível superar as adversidades.

  • A passagem de Dom Adelmo pelo Vaticano II

    Autor: Jose Florencio dos Santos

     Este livro ilustra a vida de D. Adelmo e para tanto foi dividido em dois capítulos. O primeiro ca- pítulo percorre sua linha de tempo desde criança até o momento de sua morte e o segundo capítulo percorre a linha histórica do Concílio Vaticano II com seus documentos gerados, tendo em paralelo o pensamento de D. Adelmo, pois o Concílio Vaticano II foi o início da renovação da Igreja que passa a ser compreendida no contexto da pedagogia divina, em um clima de respeito, amizade e diálogo. O livro mostra em todo o seu decorrer, que D. Adelmo um incansável defensor dos pobres, honrava em todos os seus atos, com princípios e retidão de espírito a Igreja, a qual chamava de Mestra e Mãe.

     
1 2 3 4
Desenvolvedor SA DesenvolvedorSA & ArpaDesign arpaDesign © Editora Nelpa | Todos os direitos reservados.